Como desenvolver sua criatividade no mundo dos Negócios?

//Como desenvolver sua criatividade no mundo dos Negócios?

Como desenvolver sua criatividade no mundo dos Negócios?

Você já sofreu com o bloqueio Criativo?

Ao menos que você seja um prodígio, acredito que a resposta a essa pergunta seja sim.

Infelizmente muitos dos profissionais de Marketing não conseguem controlar os seus estágios de criatividade. Você pode pensar que isso significa que você não é criativo, porém isso não é verdade.

Na verdade você apenas não anda exercitando seu lado criativo.

Então chegamos a segunda pergunta pertinente à esse tema: Como exercitar o lado criativo?

Se você quiser saber, continue lendo este artigo.

O Processo Criativo

Para saber como aflorar o seu lado criativo, você precisa primeiramente saber como funciona o processo de criação.

A Criatividade é a capacidade de formar idéias, imagens ou conceitos, ou dar existência a algo único ou original, a partir de um objetivo. No marketing, a ideia da criatividade é menos abrangente: Ela precisa ter um uso definido para seus stakeholders e ser útil.

A ideia Criativa pode ser concebida de duas formas: A Invenção ou A Descoberta.

A Invenção consiste na união de diversas características em prol da criação de uma nova idéia.

A Descoberta consiste em criar uma característica nova a uma ideia já existente.

Em ambos os casos, tanto a descoberta quanto a invenção, são processos criativos, porém usam diferentes meios de obtenção: Enquanto a Descoberta flerta com a decisão algorítmica, a invenção é quase que inteiramente heurística! Ou seja, você não precisa inventar a roda para ser de fato criativo.

Existem 07 passos básico para o Processo Criativo: Desejo, Preparação, Manipulação, Incubação,  Iluminação e Verificação.

1 – Identificação

Aqui inicia-se o processo. Pense consigo mesmo: O qual é o problema que eu preciso resolver?  Anote essa pergunta também em uma folha de papel.

Já dizia Einstein: “A formulação de um bom problema é frequentemente muito mais essencial que sua solução”. É, somente nesse primeiro tempo vamos tomar essa frase como uma verdade.

Pense muito bem em qual o problema que você precisa resolver. Escolher um problema errado pode prejudicar todas as etapas seguintes.

2 – Preparação

Após devidamente escolhido o problema, você vai começar a trabalhar na solução.

A preparação pode ser direta ou indireta.

Direta é quando você conscientemente procura informações diretamente ligadas à resolução do problema.

A preparação indireta é menos seletiva. Nela você acumula informações que possam colaborar com a resolução, mas que não estejam diretamente ligadas ao problema.

Lembrem: A preparação direta está intimamente ligada à descoberta e normalmente é feita de maneira automática, enquanto à preparação indireta está à invenção e muitas vezes é feita de maneira inconsciente.

3 – Incubação

Assim que você obteve as informações necessárias para propor uma solução ao problema, é o momento de esperar.

Um bom vinho você pode consumir a qualquer momento, porém, os bons apreciadores sabem que vinhos envelhecidos são muito mais agradáveis ao paladar.

Com as ideias o sistema é parecido, você pode acumular toda a informação que precisar, porém, sem um tempo de incubação, as respostas obtidas na reflexão serão um pouco precipitadas.

Como diz o poema de Zenrim: “Sentado quieto fazendo nada, A Primavera vem e a grama cresce sozinha”.

De um tempo a si mesmo, você saberá quando a idéia estiver pronta para ser trabalhada.

4 – Aquecimento

Os mais velhos se lembrarão que, a alguns anos atrás (alguns muitos) os carros a álcool precisavam de algum tempo esquentando para então funcionar de maneira plena.

Bom, o segredo nessa fase é retornar ao problema, que agora amadurecido,vai te entregar flashes de possíveis soluções.

5 – Iluminação

Estamos aqui no passo que todos conhecem. Aqui é onde todo mundo pensa que a criatividade começa.

Agora temos um velho conhecido dos profissionais de marketing: O Insight.

Para quem não conhece, Insight é compreensão instantânea do problema, seguido por sua solução também instantânea.

Muitos acreditam que o Insight é concebido de maneira aleatória aos sortudos, mas se você leu esse texto até aqui, já sabe do que ele se trata. Muito esforço e estudo.

Alguns criativos associam os insights a certos momentos da sua vida, como Ir ao banheiro (pode parecer mentira, mas o vaso sanitário tem um estranho poder cósmico de produzir insights), usar certas roupas, frequentar um lugar familiar ou fazer certa atividade. Com o tempo, você descobrirá como extrair seus insights mais facilmente.

6 – Elaboração

Por mais especifico que seu insight consiga ser, você sempre terá que trabalhar obtida.

Construa um mapa mental com todos os aspectos da solução, suas implicações, seus benefícios e seus pontos fracos.

Não ignore nenhuma característica da solução e monte este fluxograma quantas vezes forem necessárias guardando os anteriores para consulta sempre!

Ao fim do sexto passo, sua idéia deverá estar lapidada.

7 – Verificação

Se na elaboração você criou um escopo da sua idéia, é aqui que ela vai ser validada.

O ultimo estágio do processo criativo é justamente a validação da idéia, ou a verificação de viabilidade.

Aqui você vai ajustar os últimos detalhes, afim de que o resultado final seja o mais próximo possível do Insight, mas com todos os elementos necessários para a produção.

A verificação pode ocorrer de diversas formas: Um MVP ou uma pesquisa de mercado para produtos, uma startup para negócios ou qualquer outra coisa que sua imaginação mandar.

Conclusão

O Processo criativo, ao contrário do que muitos pensam é algo que pode ser treinado e reproduzido, o que facilita muito a criação de projetos.

Seguindo esses Sete passos, fica muito difícil ter bloqueios criativos, por isso exercite esses passos sempre.

Então exercite seu lado criativo e seja um monstro da criatividade!

E você, tem alguma dúvida sobre o processo criativo? Como está seu treinamento? Escreva aqui nos comentários, pois com seu feedback nós podemos trazer mais artigos como este para te ajudar.

By |2018-11-09T14:59:18+00:00julho 12th, 2017|Empreendedorismo|0 Comentários

Sobre o Autor:

>